sábado, 2 de julho de 2016

Mais um ataque do Prefeito Cesar Sousa Jr aos trabalhadores e trabalhadoras do Serviço Público de Florianópolis!

O ano não tem sido fácil para os trabalhadores do município de Florianópolis. Após uma Data-base dura que finalizou com um reajuste abaixo da inflação oficial do período, os municipários foram “metralhados” com mais ataques aos seus direitos. No dia 1º de Abril (considerado dia da mentira) é publicado o “reajuste” dos Servidores e no diário oficial o decreto 15.959 que dispõe sobre a contenção de despesas com pessoal, cortando gratificações, ampliação de jornada, horas-extras e licença prêmio dos Servidores. Se não bastasse esse sério ataque, no mês seguinte descobrimos que o “Dia da Mentira” foi pior ainda, já que nem o Acordo Coletivo foi cumprido pela PMF. A Prefeitura não enquadrou as Auxiliares de sala na Classe técnico nem pagou a 2ª Parcela do PCCV e PCS do quadro civil. O cronograma de pagamento foi modificado e os salários irão atrasar. Uma total falta de respeito com os servidores!


E não acabaram os ataques. O prefeito também está de olho na nossa Previdência. Ainda em Maio, parte da categoria foi à Câmara Municipal para pressionar os vereadores a arquivar o projeto do Prefeito que unificaria os dois Fundos (Financeiro e Previdenciário) com o objetivo de “tapar o furo” criado pelo prefeito e com anuência da maioria dos vereadores. A Prefeitura não paga em dia a parte patronal dos dois fundos desde a época do prefeito Dário Berger e a dívida já passa de 300 milhões. Isso está causando a falência dos fundos! Agora o prefeito quer que os trabalhadores paguem essa conta. O PL 1560/16 pretende migrar uma parte de servidores que estão no Fundo Previdenciário para o Fundo Financeiro que está falido devido os calotes do Prefeito, criando uma ilusão de dar estabilidade ao déficit previdenciário. Na prática, o Prefeito quer usar o dinheiro dos trabalhadores para pagar a conta que ele criou devido os calotes que deu na Previdência.

Essa conta não é nossa!

Apesar da vitória da Categoria naquele momento que impediu esta junção, ainda assim foi aprovado o 7º Parcelamento da dívida da PMF com os Fundos de Previdência, ou seja, seguem os calotes. Agora, Cesar Sousa Júnior envia para a Câmara Municipal de Vereadores um projeto inspirado no modelo do Governador Raimundo Colombo de Santa Catarina e Beto Richa do Paraná, aquele mesmo do massacre que aconteceu em Curitiba (Batalha do Centro Cívico) ano passado onde os trabalhadores do Estado foram recebidos pelos policiais da Tropa de Choque com bombas, gás lacrimogêneo, spray de pimenta e tiros de bala de borracha. Nossa categoria precisa estar tão mobilizada quanto nossos bravos companheiros do Paraná! Só assim conseguiremos barrar este ataque! Outros ataques já estão programados, o Prefeito já anunciou na mídia que pretende implementar a previdência complementar para quem recebe acima do teto do INSS (R$5.189,82), além de um novo “pacote de maldades” para Julho onde vão cortar novas gratificações e direitos. A dívida com a previdência é fruto da má gestão do Prefeito Municipal e não são os trabalhadores que deverão pagar a conta! Onde estão os milhões de Reais da Ave de Rapina que sumiram dos cofres públicos?

Queremos a derrubada deste projeto!

E isso só vai ocorrer com a pressão dos servidores na porta da Câmara de Vereadores. Se a gente abrir mão de lutar, vamos perder cada um dos nossos direitos.

Não ao PL 1560/2016!

4 comentários: